Dia 22 de Janeiro de 2018

Livro de 2º Samuel 5,1-7.10.

Naqueles dias, todas as tribos de Israel foram ter com David a Hebron e disseram-lhe: «Nós somos dos teus ossos e da tua carne. Já antes, quando Saul era o nosso rei, eras tu quem dirigia as entradas e saídas de Israel. E o Senhor disse-te: ?Tu apascentarás o meu povo de Israel, tu serás rei de Israel?». Todos os anciãos de Israel foram à presença do rei, a Hebron. O rei David concluiu com eles uma aliança diante do Senhor, e eles ungiram David como rei de Israel. David tinha trinta anos quando começou a reinar e reinou durante quarenta anos. Em Hebron foi rei de Judá sete anos e seis meses e em Jerusalém foi rei de Israel e de Judá trinta e três anos. David marchou com os seus homens sobre Jerusalém, contra os jebuseus, que habitavam na região, e estes disseram-lhe: «Não entrarás aqui! Os coxos e os cegos te hão-de repelir». Queriam dizer: «David não entrará aqui». Mas ele apoderou-se da fortaleza de Sião, que é a «Cidade de David». David tornava-se cada vez mais poderoso e o Senhor, Deus do Universo, estava com ele.

Livro de Salmos 89(88),20.21-22.25-26.

Falastes outrora aos vossos fiéis e numa visão lhes dissestes: «Impus uma coroa a um herói, exaltei um eleito de entre o meu povo. Encontrei a David, meu servo, ungi-o com óleo santo. Estarei sempre a seu lado e com a minha força o sustentarei. A minha fidelidade e minha bondade estarão com ele, pelo meu nome será firmado o seu poder. Estenderei a sua mão sobre o mar e a sua direita sobre os rios».

Evangelho segundo S. Marcos 3,22-30.

Naquele tempo, os escribas que tinham descido de Jerusalém diziam: «Está possesso de Belzebu», e ainda: «É pelo chefe dos demónios que Ele expulsa os demónios». Mas Jesus chamou-os e começou a falar-lhes em parábolas: «Como pode Satanás expulsar Satanás? Se um reino estiver dividido contra si mesmo, tal reino não pode aguentar-se. E se uma casa estiver dividida contra si mesma, essa casa não pode durar. Portanto, se Satanás se levanta contra si mesmo e se divide, não pode subsistir: está perdido. Ninguém pode entrar em casa de um homem forte e roubar-lhe os bens, sem primeiro o amarrar: só então poderá saquear a casa. Em verdade vos digo: Tudo será perdoado aos filhos dos homens: os pecados e blasfémias que tiverem proferido; mas quem blasfemar contra o Espírito Santo nunca terá perdão: será réu de pecado para sempre». Referia-Se aos que diziam: «Está possesso dum espírito impuro».

Commentary São Tomás de Aquino

Os milagres de Cristo visavam manifestar a sua divindade; ora, esta devia ficar oculta aos demónios, senão o mistério da Paixão seria impedido: «Se eles tivessem conhecido o Senhor de glória, não O teriam crucificado» (1Cor 2,8). Parece portanto que Cristo não devia fazer milagres sobre os demónios. [?] No entanto, o profeta Zacarias predissera esses prodígios, ao dizer: «Expulsarei do país o espírito de impureza» (Zac 13,2). De facto, os milagres de Cristo eram provas em favor da fé que Ele ensinava; desse modo, era natural que, pela força da sua divindade, Ele abolisse o poder dos demónios nos homens que iam crer em Si, segundo as palavras de S. João : «Agora, o príncipe deste mundo vai ser lançado fora» (Jo 12,31). Convinha portanto que, entre outros milagres, Cristo libertasse dos demónios os homens que estavam por eles possuídos. [?] Por outro lado, escreve S.to Agostinho, «Cristo deu-Se a conhecer aos demónios tanto quanto quis, e qui-lo quanto Lhe foi preciso, [?] através de certos efeitos materiais do seu poder». Ao ver os seus milagres, o demónio acreditou por conjetura que Cristo era Filho de Deus: «Os demónios sabiam que Ele era Cristo», diz S. Lucas; se reconheciam que Ele era o Filho de Deus, «era mais por via da conjetura do que pela via da certeza», faz notar S. Beda. Quanto aos milagres que Cristo realizou ao expulsar os demónios, não os fez para utilidade destes, mas para a dos homens, para que estes dessem glória a Deus. Era por isso que Ele impedia os demónios de dizerem fosse o que fosse em seu louvor. S. João Crisóstomo observa : «Não convinha que os demónios se arrogassem a glória do papel desempenhado pelos apóstolos, nem que línguas de mentira pregassem o mistério de Cristo».


voltar

 

Buscar  
Em    
 
 
 
 
 
 
Digite seu e-mail abaixo para receber nossas atualizações.
 
 
  Siga-nos Facebook Facebook  
 
© 2018 medjugorje.org.br | medjugorje.org.pt - Site melhor visualizado em Internet Explorer 8 - 1024x768 px ou superior.
Astec Web - Criação de Sites e Lojas Virtuais